Quem já passou em um otorrinolaringologista sabe que muito provavelmente vai sair com uma prescrição de lavagem nasal com soro fisiológico. Apesar de ser um procedimento bastante simples, barato, praticamente sem nenhuma contra-indicação e de resultados cientificamente comprovados, alguns pacientes ainda têm diversos questionamentos sobre a razão do seu uso e de sua real eficácia.

A lavagem nasal é um procedimento que data de mais de 5 mil anos, com descrições diversas em diversos livros históricos. É amplamente realizada no tratamento de diversas doenças das vias respiratórias, especialmente os que afetam a cavidade nasal (como rinite e sinusite).

O nariz e os seios da face são estruturas muito importantes para a respiração como um todo, não sendo somente um canal que permite a passagem do ar para os pulmões. O nariz têm a função de retirar partículas indesejadas, e umidificar e aquecer o ar inspirado, para que ele seja absorvido da melhor forma possível pelos pulmões, além de possuírem um importante papel imunológico. Para que o nariz possa desenvolver este importante papel na respiração, é importante fornecer condições adequadas para evitar problemas em todo esse processo. Alterações no funcionamento destes mecanismos de defesa podem levar à diversas consequências, como coriza, obstrução nasal, irritação da via respiratória e tosse.

Em situações adversas (clima seco, exposição à substâncias irritantes, ácaros, fungos, processos inflamatórios), o nariz pode não conseguir exercer suas funções naturais, o que impacta sobremaneira na respiração em geral. Nesse sentido, o soro fisiológico exerce um efeito bastante benéfico, fazendo a limpeza destas partículas que podem irritar o nariz e umidificando a mucosa nasal, de modo a diminuir seu ressecamento. Os efeitos são inúmeros: diminuição do risco de sangramento nasal, diminuição da irritação nasal, limpeza mecânica das secreções e melhora da obstrução nasal, e redução no risco de desenvolver (ou no tempo de duração) da sinusite.

Para saber mais sobre os benefícios do soro fisiológico nasal, procure seu otorrinolaringologista e faça uma avaliação!

 

Fonte: Dr. Rafael Monsanto

Recent Posts